17 de Julho de 2010

Há coisas que nos acontecem na vida, que por serem tão irreais pensamos que não nos está a acontecer, que tudo não passa de um pesadelo do qual  e em qualquer altura vamos acordar. Quando essas coisas acontecem tendo como base uma situação que nos deveria dar uma imensa felicidade mais dificil se torna acreditarmos nela e é com dificuldade que encontramos uma solução e damos um passo em frente procurando esquecer tudo.

Há momentos de felicidade ùnicos, que procuramos repartir com toda agente, ou que guardamos só para nós, num gesto de puro egoísmo, que não foi o que me aconteceu, porque foi uma partilha com minha mulher, companheira, amiga que é tudo o que tenho na vida.

A notícia de que ela iria ser avó, este ano de 2010 dos seus tres filhos e eu outra vez avô de minha filha - eu e minha mulher não temos filhos em comum ela tem os filhos dela e eu os meus, foi um acontecimento que nos encheu de alegria e de muita felicadade partilhada com amigos e conhecidos.

O primeiro nascimento foi um acontecimento inédito partilhado com harmonia e  felicidade. Foram dias de cansaço, mas vividos sem sofrimento, renovados todos os dias seguintes, sem um queixume, sem uma lágrima.

Mas tudo na vida tem  duas faces.

O segundo nascimento um mês depois foi tudo menos um momento igual ao anterior. Foi tudo menos alegria, harmonia e felicidade. Quase se desmoronou a harmonia da nossa relação quase tudo foi deixado a perder.

As coisas deixaram de fazer sentido, tudo era motivo para se discutir, para se ficar calado enrolados em nós próprios, tentando compreender o que se passava.

Andei perdido...

 

publicado por paraisoverde às 16:19

mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16

18
19
20
21
22
23
24

25
28
29
30
31


arquivos
2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


blogs SAPO